Química

 

APLICAÇÃO DO LÍQUIDO IÔNICO HIDROGENOSSULFATO DE TRIETILAMÔNIO [TEA][HSO4] NA REMOÇÃO DE CROMO DO RESÍDUO DE COURO WET BLUE (BR 10 2021 019637-8)

Método de remoção de cromo proveniente do tratamento do couro Wet Blue, envolvendo a utilização do [TEA][HSO4] como agente responsável pela remoção do cromo em questão. O método descrito é vantajoso por apresentar-se de forma cíclica e utilizar uma substância de ser sintetizado, que pode ser utilizado repetidas vezes. A possibilidade de reutilização do líquido iônico no processo de remoção do cromo torna esse processo tecnicamente e ambientalmente atrativo.

 

USO DE SENSOR COLORIMÉTRICO DE AMIDO, PVA E ANTOCIANINA PARA IDENTIFICAÇÃO DE COBRE EM CACHAÇA (BR 10 2021 018928-2)

Tecnologia proposta permite verificar qualitativamente a presença de cobre em cachaça de forma simples, rápida e sem a necessidade de analista qualificado.

 

METODOLOGIA DE CONFECÇÃO DE CAMADAS DE COMPLEXOS DE POLIELETRÓLITOS (BR 10 2021 017622-9)

A presente invenção compreende uma técnica de revestimento de superfícies empregando layer-by-layerde misturas de polieletrólitos em excesso de carga negativa e positiva, contendo agentes ativos encapsulados/aprisionados ou não, ou de soluções de polieletrólitos, alternadamente. O método de aplicação pode ser através de imersão ou pulverização. Contudo, aplicações alternadas empregando as misturas em excesso de carga negativa e positiva devem ser realizadas. O objetivo é criar uma camada de contato entre as superfícies de materiais e promover proteção de acordo com o interesse da aplicação, podendo atuar como revestimento inteligente, proteção anticorrosiva, antioxidativa, superfície catalisadora, na proteção de substratos tais como frutas e/ou verduras in vivo ou minimamente processados. Os polieletrólitos a serem empregados podem ser sintéticos ou naturais, desde que sejam polieletrólitos. Quando as camadas forem preparadas com polieletrólitos fracos tais como, com grupos -COOH e -NH2, efeitos de mudanças de pH podem ser explorados. A grande vantagem do sistema é caso de encapsulamento/aprisionamento de espécies ativas que apresentam pouca solubilidade em água e no revestimento de superfícies de substratos promover proteção fácil de ser removida para o caso de proteção a curtos períodos, além disso, polieletrólitos naturais ou sintéticos podem ser empregados.

 

PROCESSO SÍNTESE DE COMPOSTOS TERPENÓIDES, OXIDAÇÃO CATALÍTICA DO (1R,5R) -SABINENO, PRODUTOS E USOS (BR 10 2021 010520-8)

Síntese de novas cetonas monoterpênicas do tipo carano via oxidação catalítica seletiva da molécula de sabineno na presença de Pd(II) e H2O2.

 

ESPUMA DE POLIURETANO A PARTIR DO ÓLEO DE SEMENTE DE GIRASSOL E SEU PROCESSO DE PRODUÇÃO (BR 10 2020 011450-6)

O presente pedido de patente de invenção refere-se a espumas flexíveis de poliuretano advindo do poliol produzido a partir do óleo da semente de girassol (Helianthus annuus Lam.). O processo produtivo inclui a modificação do óleo vegetal através de uma única etapa de funcionalização por inserção de hidroxilas (hidroxilação perácido in situ), seguida da neutralização do poliol com posterior produção da espuma. A invenção trata-se deste conjunto de etapas e dos produtos em questão, poliol e espumas de poliuretano do óleo vegetal previamente mencionado. O poliol utilizado na produção da espuma mostrou-se passível de aplicação para reações de polimerização formadoras da ligação uretânica, devido ao seu índice de hidroxilas igual a 113,5 mgKOH/g amostra. O poliuretano resultante do sistema reacional incluindo poliol de óleo de girassol, 4,4 – difenilmetano diisocianato, catalisadores e surfactante, apresentou aspecto flexível, coloração bege e microestrutura com distribuição de poros homogênea e diâmetro médio de poros 0,17 ± 0,04 mm.

 

PROCESSO SÍNTESE DE POLIOL E POLIURETANO A PARTIR DO ÓLEO DA SEMENTE DE AMENDOIM (Arachis hypogaea) (BR 10 2019 025615-0)

O pedido de patente de invenção refere-se a espumas semirrígidas de poliuretano poroso originário de reações de policondesação entre um poliol proveniente do óleo da semente de Amendoim e o 4-4- difenilmetanodiisocianato. A síntese do mesmo necessita a incorporação de surfactante e catalisadores de amina e organometálico. A invenção refere-se, também, ao processo de produção da poliuretana citada. O método empregado inclui uma etapa de hidroxilação perácido in situ, seguida de transesterificação via alcoólise. O poliol de amendoim desenvolvido demonstra elevado potencial para reações entre hidroxilas e grupos NCO essenciais à molécula de isocianato, uma vez que possui um índice de OH igual a 143,39 mgKOH/g amostra, demonstrando a eficácia do método. A espuma uretânica apresenta perfil de degradação térmica de elevada resistência, com temperatura de transição vítrea de 270 °C e final de 660 °C, onde ocorre a decomposição do teor flexível da espuma.

 

PRODUÇÃO DE ESPUMA DE POLIURETANO A PARTIR DO ÓLEO DE SEMENTE DA ESPÉCIE Moringa oleífera Lam (BR 10 2019 023786-4)

O presente pedido de patente de invenção refere-se a espumas semirrígidas de poliuretano poroso oriundo de reações de poliadição entre um poliol proveniente do óleo da semente de Moringa oleífera Lam. e o 4-4-difenilmetanodiisocianato. A reação implica que se utilize surfactante e catalisadores de amina e organometálico. A invenção também refere-se ao processo de produção da poliuretana citada. A metodologia inclui etapas de hidroxilação perácido in situ, seguida de transesterificação via alcoólise. O poliol precursor do poliuretano de moringa demonstra elevado potencial para reações entre hidroxilas e grupos NCO inerentes à molécula de isocianato, uma vez que possui um índice de OH igual a 215,8 mgKOH/g amostra, demonstrando a eficácia do método. A espuma uretânica produzida por sua vez, apresenta perfil de degradação térmica de elevada resistência, o que pode ser verificado através dos termogramas que apontam para uma temperatura inicial de degradação de 290 °C e final de 652 °C, onde ocorre a decomposição do teor rígido da espuma, restando apenas resíduos.

 

PROCESSO DE SEPARAÇÃO ENTRE CORANTE ANIÔNICO E CORANTE CATIÔNICO A PARTIR DE MATRIZES AQUOSAS (BR 10 2019 008136-8)

A presente invenção trata de um processo de separação entre corante aniônico e corante catiônico a partir de matrizes aquosas utilizando sistemas aquosos bifásicos formados por poli(óxido de etileno), sal e água. O processo de separação entre os corantes é baseado na utilização de um surfactante catiônico como aditivo no sistema aquoso bifásico. Este surfactante atua modulando o comportamento de distribuição de corantes aniônicos entre as fases do sistema aquoso bifásico, permitindo que corantes aniônicos sejam separados com grande eficiência de corantes catiônicos. Trata-se de um processo ambientalmente seguro que faz uso de reagentes de baixa toxicidade. A tecnologia desenvolvida apresenta compatibilidade com as demandas por processos de separação/purificação de corantes, tornando possível sua aplicação como uma das etapas de tratamento de efluentes em indústrias têxteis, enquadrando-se, portanto, nas áreas de tecnologia de separação e remediação ambiental. Assim, esta invenção tem como principal alvo as indústrias têxteis, fornecendo uma alternativa para a separação e recuperação de corantes não aderidos ao tecido durante a etapa de tingimento.

 

PROCESSO PARA ANCORAGEM DE LÍQUIDO IÔNICO EM CELULOSE, PRODUTOS BASEADOS EM CELULOSE E USO COMO MATRIZ DE ADSORÇÃO/DESSORÇÃO DE COMPONENETES ANIÔNICOS (BR 10 2018 069690-4)

O presente relatório descreve um processo de modificação da celulose, em etapa única, utilizando reações de ancoragem de líquidos iônicos na estrutura desta. O produto obtido é uma celulose catiônica com propriedades de adsorção de espécies químicas aniônicas e pode ser utilizado como matriz de liberação controlada de fármacos ou como adsorventes de contaminantes ambientais aniônicos. A celulose, em sua forma catiônica, é resultante de uma funcionalização preliminar com grupamentos siloxano presentes em moléculas de líquido iônico. No caso da presente invenção, a celulose é intumescida na presença do líquido iônico que além de agir como uma espécie solvente, também é uma molécula reagente responsável pela funcionalização.

 

PROCESSO DE OBTENÇÃO DE PINOL VIA ISOMERIZAÇÃO DO HETEROPOLIÁCIDO CS2,5HO,5PW12O40 (BR 10 2018 008203-5)

A presente invenção trata de um processo heterogêneo de obtenção do composto pinol (4,7,7-trimethyl-6-oxabicyclo[3.2.1]oct-3-ene) a partir da reação de isomerização do óxido de alfa-pineno catalisado por sal de heteropoliácido Cs2,5 H0,5PW12O40. O óxido de alfa pineno é um composto altamente reativo em meio ácido. Portanto, a obtenção seletiva de produtos via a isomerização do óxido de alfa pineno é uma tarefa desafiadora e requer conhecimentos prévios a cerca da especificidade dos carbocátions formados a partir do óxido de alfa-pineno em meio ácido. Pois, a formação dos produtos gerados neste processo requer a obtenção e estabilização dos carbocátions de interesse no meio de reação. O processo é realizado na presença de solvente orgânico, de preferência acetona, o qual atua e interfere na formação e estabilização do carbocátion desejado e necessário para a obtenção do produto de interesse. O sal de heteropoliácido utilizado como catalisador é insolúvel neste solvente o que possibilita a realização de processo heterogêneo. A aplicação do sal de heteropoliácido no processo desenvolvido é inédita para a formação do composto de interesse pinol via a isomerização do óxido de alfa pineno. O composto obtido pinol (4,7,7-trimethyl-6-oxabicyclo[3.2.1]oct-3-ene) trata-se de um éter que contém um fragmento oxabicíclico octeno, cujo potencial de aplicabilidade em segmentos diferenciados da indústria de química fina encontra-se associado às particularidades da sua estrutura química.

 

MATERIAL TERMOCRÔMICO MULTIFUNCIONAL COMPOSTO POR MOLIBDATO DE COBALTO DOPADO COM TERRA RARA (BR 10 2018 005047-8)

Trata o presente relatório descritivo da patente de invenção de um material termocrômico multifuncional composto por molibdato de cobalto dopado com a terra rara európio, representado pela fórmula química Co1-xEuxMoO4, sendo x = 0,02. O produto foi produzido por reação de coprecipitação em condições adequadas de temperatura e tempo que permitiram obter o produto em três diferentes formas polimórficas: hidratada, beta e alfa. A fase beta apresenta propriedades termocrômicas, ou seja, o material pode mudar de cor ao ser submetido a uma mudança de temperatura. A mudança de cor é provocada pela transição de fase entre as estruturas beta e alfa. Neste sentido, a dopagem do material pela terra rara európio, permitiu agregar ao produto a propriedade de emissão de luz visível monocromática, dando origem a um material multifuncional. O material Co1-xEuxMoO4, produzido na fase beta possui uma vasta gama de aplicação devido às suas propriedades inerentes, e agora, agregadas. A fase beta do molibdato de cobalto dopado com a terra rara európio é capaz de alterar sua cor de roxo para verde, o que é facilmente perceptível a olho nu, quando submetido a uma diferença de temperatura superior à da amostra sem a dopagem. Além disso, o produto desenvolvido também é capaz de emitir a radiação monocromática vermelha ao ser excitado com radiação ultravioleta, diferentemente do material sem a dopagem. As etapas para obtenção do produto Co1-xEuxMoO4, as novas faixas de temperatura onde ocorre a mudança de cor e os novos campos de aplicação do produto em função de suas características multifuncionais agregadas, serão apresentadas em detalhes, neste documento.

 

PROCESSOS DE ISOMERIZAÇÃO DE ÓXIDO DE CARIOFILENO E DE OBTENÇÃO DE DERIVADOS DO CLOVANO CATALISADOS POR HETEROPOLIÁCIDOS (BR 10 2017 015022-4)

A presente invenção trata do processo de obtenção de sesquiterpenos policíclicos, derivados do clovano e cariofilano, a partir da isomerização do óxido de cariofileno, catalisada por heteropoliácido, na forma suportada ou de sal. Os compostos terpênicos obtidos possuem ampla aplicação como agentes fragrantes importantes nas indústrias farmacêutica, alimentícia e de perfumaria.

 

PROCESSO DE OBTENÇÃO DE CELULOSE HETERODISSUBSTITUÍDA E PRODUTO (BR 10 2017 013780-5)

Processo de obtenção de celulose heterodissubstituída e Produto. A presente invenção descreve um processo de modificação da celulose natural proveniente do bagaço de cana-de-açúcar, de qualquer outra fonte vegetal, ou da modificação da celulose sintética e os respectivos produtos, utilizando como agentes modificadores os pares de anidridos i) succínico e ftálico; ii) succínico e trimelítico e iii) succínico e piromelítico. Os processos de esterificação ocorrem em condições padrão de reação e os produtos obtidos por esses processos podem ser utilizados como agentes de adsorção de metais pesados, suportes para catalisadores a base de metais nobres e metais não nobres, como aditivos em alimentos, cosméticos e higiene pessoal, eletrodos, cerâmica, detergentes, mineração, fluidos de perfuração, tintas e recobrimento e revestimento de superfícies, refino/separação de misturas multimetálicas em hidrometalurgia e dispositivos de liberação controlada de substâncias químicas.

 

PROCESSO DE EXTRAÇÃO E DE PURIFICAÇÃO DE CORANTES DE URUCUM (Bixa orellana L.) (BR 10 2017 007496-0)

A presente invenção compreende um processo baseado na utilização de sistemas aquosos bifásicos (SAB) com adição de tensoativo catiônico como agente modulador da partição do extrato das sementes de urucum. Com a adição do tensoativo catiônico o extrato se distribuiu entre as fases superior e inferior, com maior concentração na fase superior. Foi investigada a influência da temperatura, concentração de tensoativo, concentração dos componentes dos sistemas e pH. A presente invenção é um processo ambientalmente sustentável, mais eficiente e de baixo custo para a purificação/extração/pré-concentração do extrato das sementes de urucum. Os principais alvos para a aplicação desta invenção são as indústrias químicas, farmacêuticas, cosméticas e alimentares que fazem a extração dos corantes de urucum.

 

PROCESSO DE PREPARAÇÃO DE SELO INTELIGENTE, COMPOSIÇÕES À BASE DE EXTRATOS NATURAIS E MATERIAIS ATÓXICOS, SELO ASSIM OBTIDO, USO DO MESMO PARA MONITORAMENTO DE PH DE ALIMENTOS (BR 10 2017 006245-7)

A presente invenção pertence ao campo de selos e sensores colorimétricos de pH, mais especificamente, a um selo inteligente à base de materiais atóxicos e extratos naturais para uso na área alimentícia e para fins de monitoramento da cadeia do frio, onde a alteração de cor permite a aplicação dos mesmos no monitoramento contínuo, prático, em tempo real e eficaz e da qualidade de produtos e subprodutos de origem vegetal e animal.

 

EXTRAÇÃO DE ANTOCIANINA DO CAPIM GORDURA VIA SISTEMAS AQUOSOS BIFÁSICOS (BR 10 2016 025092-7)

O pedido de patente descreve o uso dos sistemas aquosos bifásicos (SAB) como etapa única do processo de extração de Antocianinas a partir do Melinis minutiflora, conhecido como Capim-Gordura. Diferenciando-se das técnicas convencionais que além de utilizarem solventes orgânicos, necessitam de etapas posteriores para obter o extrato antocianínico, os SAB são ambientalmente seguros e a extração ocorre com uma etapa. Além disso, o sistema apresentado possui um baixo custo e fácil implementação.

 

COMPOSTOS SINTÉTICOS INIBIDORES DE DESACETILASES DE HISTONAS (HDACs), COMPOSIÇÕES FARMACÊUTICAS, PROCESSO DE PREPARAÇÃO E USO (BR 10 2016 021672-9)

A presente invenção refere-se a treze compostos inibidores de desacetilases de histonas, seu processo de síntese e seu uso como agentes antitumorais, composições farmacêuticas, processo de obtenção e uso. A maioria dos compostos descritos foi sintetizada em poucas etapas, mesmo apresentando estrutura química mais complexa que o fármaco vorinostat e a Santacruzamate A. Dentre os compostos sintetizados, seis apresentam um grupo pró-fluoróforo em sua estrutura química, o que os torna fluorescentes sob luz ultravioleta (¿ = 365 nm) e, assim, permite o uso desses como sondas biológicas para localizar e desvendar mecanismos epigenéticos.

 

PROCESSO DE ACETILAÇÃO DO NOPOL CATALISADO POR HETEROPOLIÁCIDO (BR 10 2016 018182-8)

A presente invenção trata do processo de obtenção do acetato de nopol, a partir dos substratos nopol e anidrido acético catalisado por heteropoliácido, dissolvido ou na forma de sal insolúvel. Acetato de nopol obtido possui ampla aplicação como agentes fragrantes importantes nas indústrias de alimentos e de perfumaria.

 

PROCESSO DE OBTENÇÃO DO COMPOSTO 4-(4-ISOPROPYLPHENYL)-2,2,6-TRIMETHYL- 3-OXABICYCLO[3,3,1]NON-6-ENE VIA ACOPLAMENTO DE DIFERENTES COMPOSTOS MONOTERPÊNICOS AO CUMINALDEÍDO CATALISADOR POR HETEROPOLIÁCIDOS E SEUS SAIS (BR 10 2016 018187-9)

A presente invenção trata do processo de obtenção do composto 4-(4-isopropylphenyl)-2,2,6-trimethyl-3-oxabicyclo[3,3,1]non-6-ene a partir da reação entre dois substratos oriundos de matéria prima natural, uma olefina ou álcool pertencente à classe de compostos monoterpênicos (limoneno, alfa-pineno, beta-pineno, alfa-terpineol, nerol, linalol e geraniol) e o aldeído cuminaldeído catalisado por heteropoliácido, dissolvido ou na forma de sal insolúvel. O 4-(4-isopropylphenyl)-2,2,6-trimethyl-3-oxabicyclo[3,3,1]non-6-ene obtido se caracteriza como composto inédito e possui potencial de aplicação nas indústrias de perfumaria e de fármacos.

 

SOLUÇÕES SÓLIDAS HOMOGÊNEAS DE ÓXIDOS MISTOS DE LANTANÍDEOS NdLuO3 E SmLuO3 E RESPECTIVOS MÉTODOS DE OBTENÇÃO (BR 10 2015 020901-0)

Trata o presente relatório descritivo da patente de invenção dos materiais óxidos mistos de lantanídeos com fórmula química NdLuO3 e SmLuO3. Estes materiais foram obtidos puros, com estrutura cristalina homogênea monoclínica para NdLuO3 e cúbica para SmLuO3. Uma vez que as propriedades dos materiais estão intimamente ligadas a sua estrutura cristalina, a compreensão das propriedades exibidas e a busca por novas aplicações partem sempre de uma avaliação estrutural criteriosa. O processo de obtenção destes materiais se baseia na reação hidrotérmica a qual se faz uso da autoclave envolvendo alta pressão, seguida por etapas de calcinações com os parâmetros tempo e temperaturas controlados. A metodologia de síntese que proporcionou a produção das soluções sólidas homogêneas em suas estruturas cristalinas específicas envolve a utilização de óxido hidróxido de lutécio, hidróxido de neodímio e hidróxido de samário, como precursores intermediários do produto final. O parâmetro tempo foi distinto para cada um dos óxidos mistos de lantanídeos. Todas as etapas envolvidas na produção dos materiais NdLuO3 monoclínico e SmLuO3 cúbico, será apresentado em detalhes neste documento.

 

PROCESSO DE ISOMERIZAÇÃO DO NEROLIDOL E/OU FARNESOL À ALFA-BISABOLOL CATALISADO POR HETEROPOLIÁCIDO (BR 10 2015 015266-3)

A presente tecnologia descreve o processo de obtenção de a-bisabolol, a partir do nerolidol elou farnesol utilizando um heteropoliácido (HPA) da série de Keggin como catalisador, em condições brandas de reação, temperatura próxima à temperatura ambiente, sob pressão atmosférica e baixas quantidades de catalisador. O processo resultou em alta atividade e seletividade e, portanto, mais puro e limpo e com maior rendimento que os já relatados.

 

PROCESSO DE ALCOXILAÇÃO DE a–PINENO Eb-PINENO CATALISADO POR HETEROPOLIÁCIDOS (BR 10 2015 011227-0)

A presente invenção trata do processo de obtenção de éteres monoterpênicos, a partir dos substratos oz-pineno ou B-pineno catalisado por heteropoliácido, dissolvido ou na forma de sal insolúvel. Os éteres monoterpênicos obtidos possuem ampla aplicação como agentes fragrantes importantes nas indústrias farmacêuticas e de perfumaria.

 

ARGILAS HIDROFOBIZADAS E PROCESSO DE HIDROFOBIZAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE ABSORVENTES DE CONTAMINANTES ORGÂNICOS (PI 0802814-1)

A presente invenção caracteriza-se por uma nova classe de material compósito à base de argilas recobertas por uma camada de material carbonáceo, sua preparação e seu uso na remoção de contaminantes orgânicos. A produção destes novos materiais consta de um processo simples de transformação de matrizes inorgânica como as argilas naturais, em materiais altamente hidrofóbicos para utilização como absorventes de contaminantes orgânicos dissolvidos e em derramamento de óleo em águas e solos. Neste processo, matrizes inorgânicas (por exemplo, argilas vermiculita ou montmorilonita) são submetidas a um processo de hidrofobização através da decomposição catalítica ou térmica de uma fonte de carbono (como por exemplo, CH~4~, altamente abundante, disponível e de baixo custo ou etanol, uma fonte renovável), em condições controladas, dando origem a um compósito matriz inorgânica/material carbonáceo. Este material carbonáceo altamente hidrofóbico consiste basicamente em nanotubos, nanofibras de carbono, grafite e carbono amorfo que possuem alta afinidade por compostos orgânicos.

 

MÉTODO DE QUANTIFICAÇÃO DE AMINAS EM RESÍDUOS DE FLOTAÇÃO DE MINÉRIO DE FERRO (PI 0705593-5)

A presente invenção diz respeito a um método de quantificação de aminas graxas provenientes de efluentes gerados pelo processo de flotação reversa do minério de ferro, utilizando técnica colorimétrica que contém o verde de bromocresol como corante orgânico.

 

PROCESSOS PARA PREPARAÇÃO DE CELULOSES OU DE FIBRAS LIGNOCELULÓSICAS MODIFICADOS QUIMICAMENTE PARA REMOÇÃO DE ÍONS METÁLICOS EM SOLUÇÃO LÍQUIDA (PI 0702691-9)

Processos para Preparação de celuloses ou de fibras lignocelulósicas modificados quimicamente para a remoção de lons metálicos em solução líquida. A presente invenção refere-se aos processos de preparação de materiais, a partir da celulose ou de qualquer fibra lignocelulósica, para complexar lons de metais em solução e, assim, descontaminar soluções por tais metais. Os quatro materiais são preparados a partir da modificação dos grupos hidroxila presentes na celulose ou nas fibras lignocelulósicas com um anidrido de ácido carboxílico cíclico como o anidrido succínico, para a obtenção do Material I, e o dianidrido do etilenodiaminotetracético (EDTA), para a obtenção do Material II. Quando a fibra inicial é tratada com solução aquosa de NaOH (mercerização) há um aumento da modificação química com o anidrido usado. Posteriormente, as funções ácido carboxílico introduzidas no Material I são usadas para ancorar poliaminas, para obter o Material III contendo funções amina. O Material III é tratado com haletos de alquila para a obtenção do Material IV. Os novos materiais obtidos I, II e III são capazes de adsorver cátions metálicos presentes em várias soluções líquidas e assim, descontaminar soluções por tais metais. O novo Material iv é capaz de adsorver oxiânions presentes em soluções líquidas.